sábado, 4 de julho de 2020

Em Extinção - Atrito (2020)...



Download: Atrito (2020).zip (ou vá em ouça)

A música de Rayra Costa parece tentar exprimir o inexprimível. Para além de articular uma dimensão do sensível que ultrapassa a linguagem (algo que perpassa quase toda expressão artística), o trabalho da artista sonora de São Paulo evidencia fraturas da memória e estranhamentos do tempo e da existência, aludindo a uma ideia de futuros perdidos e um “contínuo desconexo”, como diz o título de um dos seus discos.“A princípio meus experimentos com música começaram no campo da escuta”, conta Rayra, por email. Ainda adolescente, ela foi descobrindo a agressividade de “músicas desgracentas” como grindcore, noisecore, black e death metal. “Na época tocava baixo em uma banda punk, e não era nada parecido com o que eu faço hoje. Com o passar do tempo fui descobrindo um campo mais amplo na música e suas possibilidades, chegando até a música de ruído. O que me atraiu nesse campo é a infinita possibilidades de paisagens sonoras”, afirma. Em 2017, Rayra criou o seu primeiro projeto de música de ruído, o Em Extinção. “O nome vem da ideia de distopia (tema que me agrada) e suas atuais convenções sociais extrapoladas ao máximo, chegando a sua extinção”, explica... Continue lendo no Volume Morto
Tags:  , , , , ,          

Nenhum comentário:

Postar um comentário