sábado, 8 de maio de 2021

Diego Lucena - Cidades, Suicídios e Colisões Fatais (2021)...




Download: Cidades, Suicídios e Colisões Fatais (2021).zip (Ou vá no bandcamp acima)

Como se define uma cidade? Quais os critérios geométricos, sociais e econômicos que deve-se adotar? O que é uma cidade? Com esses questionamentos em mente, o músico e artista visual Diego Lucena (Fortaleza/1984), lança seu EP instrumental "Cidades, Suicídios e Colisões Fatais", um trabalho produzido no final de 2020 que conta com 6 faixas. Gravado "ao vivo", o disco navega por uma sonoridade experimental/minimalista, entre riffs e texturas que exploram as nuances de uma cidade em expansão: ruidosa, esquisita, estranha e catártica. Afinal, o que é uma cidade?

Tags:  , , , , ,          

sexta-feira, 7 de maio de 2021

Alceu Valença - Sem Pensar no Amanhã (2021)...




São onze faixas em que o artista recria suas canções, entre o essencial e o intimista: tem releituras de sucessos (“La Belle de Jour”, “Táxi Lunar”, “Estação da Luz”), temas sempre requisitados pelos fãs (“Iris”, Marim dos Caetés”), além de frevos (“Chego Já”, “Pirata José”) e o samba inédito que dá título ao álbum, “Sem Pensar no Amanhã”. É o primeiro de uma série de lançamentos de Alceu neste formato. Em quarentena desde março, Alceu Valença aproveitou o período de incerteza para tocar violão como nunca em sua casa no Rio. Acostumado a passar mais tempo na estrada do que em casa, de um momento para outro o artista andarilho viu-se obrigado a recriar seu cotidiano sem tempo de pensar no amanhã. O violão acabou sendo sua melhor companhia... Leia mais no Toca Cultural

Tags:  , , , ,          

Onun - Uburu (2021)...



Download: Uburu (2021).rar

Pedro Ben e Joniel Veras são dois jovens músicos inquietos que costumam nos surpreender com seus trabalhos. Nesse momento, apresentam “Uburu” fruto da recente parceria que gerou o projeto musical Onun. Esse é um disco que diz bastante sobre a renovação da música brasileira que vem em uma constante desde 2010 e sobre as sonoridades produzidas em Teresina e no Piauí. Em Onun “Uburu” encontramos traços do melhor que a tradição da música brasileira nos dá – letras poéticas, boa melodia, uma simplicidade que cola no ouvido e a vontade de se abrigar dentro do disco. Ao longo das faixas conseguimos perceber o diálogo sonoro com os afrossambas, o axé dos anos 1990, o ritmo do afoxé, um cadinho de Caetano/Gil e aquele “sol que ilumina nossa história”. O disco é festa e traz uma alegria que nos faz esquecer, por um momento, que estamos vivendo esse fim de mundo. Talvez, aí, esteja o melhor do disco. Vamos ouvir e pedir aos orixás que digam sim às nossas preces... Leia a entrevista na Revista Acrobata

Tags:  , , , ,          

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Victor Seixas - Gesto Bruto (2021)...




Entre muitos personagens interpretados, a persona que Victor Seixas escolheu para seu projeto musical é a que pode, com honestidade, carregar seu próprio nome. É ele mesmo, de cara lavada. Não à toa, é esta a capa de Gesto Bruto, seu primeiro álbum. Ao explicar a arte do disco, Victor comenta que realizou as fotos de divulgação com muita maquiagem, porém, ao ouvir o disco finalizado, percebeu “que tinha muita cor, mas também tinha secura, e por isso optamos por essa cara lavada, comigo sem roupa, e mostrando só a minha cara”... Leia mais no Música Pavê

Tags:  , , , ,          

As Travestis - Respeita As Travestis (2021)...




Só com feats nordestinos, primeiro álbum de A Travestis explora versatilidade do pagodão baiano atravessando referências da cultura pop. Seguindo os passos do funk e suas diferentes vertentes Brasil afora, o pagodão baiano têm conquistado cada vez mais força e espaço no pop brasileiro e, pelas beiradas, emplacou hits nas vozes de Pabllo Vittar (“Problema Seu”), Lexa (“Provocar”), Anitta (“Me Gusta”) e Ludmilla (“Invocada” e “Pra Te Machucar”, essa última com o trio Major Lazer), pra citar alguns. Na cena local, são muitos os nomes de destaque e, entre eles, uma artista que está decidida a cruzar as fronteiras baianas pra fazer o grave bater por todo o território nacional: estamos falando da artista Tertuliana ou, como é chamada nos palcos, A Travestis... Leia mais no Portal It Pop

Tags:  , , , , , , ,          

quarta-feira, 5 de maio de 2021

Gabriella Lima - Bálsamo (2021)...




Em 2014, Gabriella Lima foi para Paris para uma temporada de três meses. Esse tempo se expandiu, passaram anos e a artista ficou. Os três meses que seriam de imersão na composição de seu primeiro disco também se diluiu em anos de trabalho e de pesquisa que desaguam agora em “Bálsamo” (2021), seu disco de estreia. “Bálsamo” é disco de amor, de entrega e de crescimento, por isso mesmo é trabalho bastante pessoal para Gabriella. É ela quem escreve, compõe e assina a produção executiva do trabalho, ao lado do produtor Alê Siqueira, brasileiro radicado em Portugal e detentor de dois Grammy Latino. O disco foi produzido e gravado à distância em Paris (França), Algarve (Portugal), Salvador e São Paulo, o que traz mais temperos a essa mistura que já era ampla, considerando os trajetos de Gabriella... Leia mais no Screamyell

Tags:  , , , ,          

Ale Sater - Fantasmas (2021)...




O artista carioca Ale Sater, residente de São Paulo, lançou seu primeiro trabalho em 2016 chamado Japão, fora os demais três álbuns lançados pela banda Terno Rei. Recentemente aqui no Hits Perdidos você pode conferir uma canção em parceria com Nuven, “Par de Ondas”. Após os singles “Nós” e “Peu”, que inclusive ganhou videoclipe, Ale Sater em Premiere no Hits Perdidos lança seu novo EP Fantasmas via Balaclava Records. Peu”, que abre o EP, “fala sobre uma relação fictícia entre pai e filho, caminhando juntos na vida e uma relação de troca, então tentei transmitir esse sentimento recíproco e traçando um paralelo à proximidade e ao convívio entre nós dois.”, como descreveu o diretor do videoclipe Gabriel Rolim durante o lançamento. Com arranjos delicados no violão, a faixa poderia até mesmo estar em trilhas de séries como This Is Us – que tem como enredo a história de uma família. Dos aprendizados a paciência para lidar com os eventuais problemas que certamente surgirão ao longo da sua própria jornada... Continue Lendo no Hits Perdidos

Tags:  , , , , ,          

terça-feira, 4 de maio de 2021

Rico Dalasam - Dolores Dala Guardião do Alívio (2021)...




De braços abertos, como quem recepciona de forma calorosa, Rico Dalasam ilumina a imagem de capa de Dolores Dala Guardião do Alívio (2021, Independente). Produto da dor, relacionamentos instáveis e conflitos vividos pelo rapper paulistano, o trabalho nasce como uma extensão do homônimo registro lançado há poucos meses, porém, estabelece no acolhimento e na perspectiva da afetividade preta a base para cada uma das composições que recheiam o disco. “Não estou debatendo o corpo político ou a vida do negro do modo social, mas discutindo um lugar lá dentro da gente que é pouco elaborado no imaginário coletivo da sociedade“, resume no texto de apresentação da obra. São canções que partem das vivências do próprio artista e utilizam do forte discurso universal como um precioso componente de diálogo com o ouvinte. Dividido entre a dor e a libertação, conceito que tem sido explorado desde a estreia com Aceite-C, o registro de essência agridoce evidencia o completo domínio do artista em relação ao próprio trabalho. Instantes de amarga melancolia que antecedem momentos de doce celebração, proposta que se reflete tão logo o álbum tem início, na introdutória vinheta de abertura, mas que embala a experiência do ouvinte até a derradeira Estrangeiro (“Fui, porque acabou a fé / Não porque acabou o amor“). É como se cada composição servisse de passagem para a música seguinte, rompendo com a aleatoriedade que parecia orientar os antigos lançamentos do rapper, como Modo Diverso EP (2015) e, principalmente, o antecessor Orgunga (2016)... Leia mais no Miojo Indie

Tags:  , , , ,          

Ruina - Transfigurar (2021)...





A Ruína (PE) chegou ao seu segundo disco, mais um EP. Transfigurar não segue a linha de Autofagia, o EP anterior de 2018. É como se o disco anterior, como o título, se digerisse para se renovar. Se em Autofagia a banda mostrava a pegada proeminente do metal, em Transfigurar as influências pesadas se aliam e se desdobram em renovação com pegada eletrônica e tribal – mas com o cerne metálico em meio a tudo. O peso do som dá vazão à exploração do eu e seus sentimentos, em sua maioria voltados para a introspecção e um olhar pessimista sobre os dias. Como se a esperança de melhoria andasse de mãos dadas com um ódio que a cada dia cresce... Leia mais na Revista O Inimigo

 

Tags:  , , , , , ,          

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Alpargatos - Se Hoje em Não Sair (2021)...




A banda porto-alegrense Alpargatos divulgou o EP ao vivo Se hoje eu não sair. O novo trabalho, lançado pelo selo Escápula Records, chega em um período de impossibilidade de se fazer aglomerações e consiste em registros de músicas da banda em três shows diferentes. Com a pandemia, experimenta-se a nostalgia, a saudade, e Se hoje eu não sair vem como uma resposta a às limitações. Surpreendidos como todo o mundo, os integrantes da Alpargatos adiaram as gravações do primeiro álbum, cuja pré-produção acontecia quando a pandemia foi deflagrada. “[Estávamos] selecionando repertório e fazendo os primeiros ensaios, mas não deu pra seguir pela necessidade de isolamento”, conta Bruno dos Anjos, produtor e membro da banda. A partir disso, a Alpargatos deu início à organização de materiais já produzidos, mas que não tinham destino definido – ainda... Leia mais na coluna Roger Lerina

Tags:  , , , , , ,          

Juliano Holanda - Por Onde As Casas Andam Em Silêncio (2021)...




2020. Ano de pandemia, de quarentena, de polarizações extremas, de catástrofes no Brasil e no mundo. Uma nova década começando em meio a obscuridades e incertezas. A sensação de impotência diante de um momento histórico tão adverso e a força da canção se unem no novo trabalho do cantor, compositor e musicista pernambucano Juliano Holanda. Lançado recentemente, o disco “Por onde as casas andam em silêncio”, obra densa na qual relê o contexto atual sob forte lirismo e experimentalismo. Em oito canções autorais, o artista narra o revés vivido pelo cidadão brasileiro, o amargor do isolamento social, o inconformismo com as controvérsias políticas, a desilusão das expectativas frustradas. Um repertório que questiona e afaga, pelo qual Holanda canta a aspereza dos dias e, ao mesmo tempo, clama por mais humanidade nas relações sociais. Músicas que lamentam, que ruminam a dor, sem perder o vislumbre da esperança e do afeto como instrumento de sobrevivência... Leia mais no Cultura PE

Tags:  , , , ,          

domingo, 2 de maio de 2021

EteAroma - Vol​.​01 Sem tempo (2021)...



Download: Vol​.​01 Sem tempo (2021).zip (ou vá no bandcamp acima)

Entre 2017 e metade de 2019 todas as terças Marcozi e Thiaguera se encontravam no intuito de produzir algumas músicas, a parceria se tornou inevitável resultando no primeiro álbum do projeto EteAroma, "Vol.1 Sem tempo". Com temática espacial do gueto e sonoridade afrofuturista misturando o eletrônico com as tradições, guitarras psicodélicas e elementos improváveis. Etearoma da rua e sem pretensão...

 

Tags:  , , , ,          

sábado, 1 de maio de 2021

Repetentes 2008 - A Tragédia de Pete (2021)...



Download: A Tragédia de Pete (2021).zip (ou vá no bandcamp acima) 

 As vezes até a piada mais estupida guarda as misérias da experiência humana. Imagina que existem dois cães, um chamado Pete e outro tem o nome de Repete, infelizmente um dia Pete teve seu atestado de óbito confirmado e a pergunta que fica é: qual nome do canino que restou? Assim como o maldito ciclo de reencarnação de Pete, mais uma vez Gabriel Guerra lança um disco com seu pseudônimo Repetentes 2008, aqui encontramos 5 faixas que dão uma dimensão diferente ao ciclo de vida e morte, porque já que Pete esta sempre passando pelo mesmo, talvez a idéia de repetição não seja tão ruim assim, talvez ela possa ser celebrada. Sonoramente falando, algumas músicas estão no estilo drum-and-bass e outras no estilo “não-é-porque-tem-break-e-é-rapido-que-significa-queé-drum-and- bass”, mas todas assegurando a melodia hamtariana que tanto se repete ao longo da história do projeto... Não muito diferente da tragédia de Pete. Ainda bem que sobrou o outro cachorro, qual o nome dele?

Tags:  , , , ,